ANTICONCEPCIONAIS MASCULINOS:

Os anticoncepcionais masculinos estão sendo estudados em vários países. O desenvolvimento de uma pílula masculina é muito mais difícil do que a criação de uma feminina, pois um homem gera cerca de mil espermatozóides por minuto, enquanto que uma mulher normalmente libera apenas um óvulo por ciclo.Existem várias frentes de pesquisa com vários tipos de medicamentos e substâncias, os estudos e pesquisas que temos atualmente são:


Na Austrália:
Pesquisadores australianos conseguiram formular um anticoncepcional masculino que funciona com uma combinação de injeções aliadas a um implante na pele. O anticoncepcional consiste em um implante subcutâneo com hormônio sexual masculino testosterona, que deve ser substituído a cada quatro meses, e injeções trimestrais de progesterona.O procedimento é reversível, pois só interrompe a produção de espermatozóides em caráter temporário. Os efeitos passam logo após a suspensão da medicação.A pesquisa publicada no Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism ainda esclareceu que um dos próximos passos a serem tomados, é o desenvolvimento de uma injeção única, que dispense o implante. Hoje aproximadamente 80% das doenças do aparelho reprodutor feminino são passíveis de tratamento por videolaparoscopia.

Nos Estados Unidos:
Uma experiência realizada em macacos poderá abrir o caminho para o desenvolvimento de um anticoncepcional masculino. Os macacos receberam uma injeção da proteína Eppina, encontrada nos testículos dos próprios animais, que os deixou temporariamente estéreis, embora tenham recuperado a fertilidade ao interromper o tratamento, explicam os pesquisadores.
A Eppina aparentemente interfere na formação do esperma, o que causa esterilidade, segundo os autores do estudo.

Na Europa:
Uma empresa alemã e holandesa anunciou que unirão forças para desenvolver uma pílula anticoncepcional masculina. O produto deve chegar ao mercado dentro de alguns anos.
Mas os cientistas já produziram um protótipo de pílula masculina eficaz, ao usar um hormônio sintético que suprime a produção de espermatozóides, combinado à testosterona de liberação lenta.

No Brasil:
O Laboratório Hebron, de Pernambuco, encaminhou em janeiro de 1999 ao Ministério da Saúde pedido de registro para comercialização do Nofertil, primeira pílula anticoncepcional masculina não hormonal do mundo.O medicamento é feito a partir do gossipol, uma substância natural extraída da semente do algodão, que desativa a enzima responsável pelo amadurecimento dos espermatozóides. Os efeitos contraceptivos do gossipol foram descobertos pelo professor Elsimar Coutinho, do Centro de Reprodução Humana da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFB).
Diferente da pílula feminina, a masculina não contém hormônios e quase não apresenta efeitos colaterais. É feita de uma substância extraída da semente do algodão chamada gossipol. O produto foi descoberto na China, há 20 anos, quando pesquisadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) começaram a estudar uma população que apresentava baixos índices de fertilidade e cujos hábitos incluíam a ingestão de grande quantidade de pasta e óleo da semente de algodão, utilizados para cozinhar alimentos.
O uso do gossipol como contraceptivo masculino começou a ser pesquisado há 15 anos pelo professor Elsimar Coutinho, da Universidade Federal da Bahia.O Nofertil já foi testado em cerca de mil homens, que, segundo Coutinho, após um mês de tratamento, tornaram-se inférteis.
O início da comercialização dos comprimidos de Nofertil no Brasil aguarda apenas a liberação do Ministério da Saúde. O preço médio de cada frasco com quarenta comprimidos deve ficar em torno de R$ 10.


Dr. Leo Cezar Vieira
leo@promulheronline.com.br