O QUE É HPV (Human Papiloma vírus)?

É um vírus transmitido geralmente pelo contato sexual que afeta a área genital tanto de homens como de mulheres.
O HPV é uma família de vírus com mais de 80 tipos. Enquanto alguns deles causam apenas verrugas comuns no corpo, outros infectam a região genital, podendo ocasionar lesões que, se não tratadas, podem se transformam em câncer de colo do útero.
Uma das características desse vírus é que ele pode ficar instalado no corpo por muito tempo sem se manifestar, entrando em ação, em determinadas situações como na gravidez ou numa fase de estresse, quando a defesa do organismo fica diminuída.
Na maior parte das vezes a infecção pelo HPV não apresenta sintomas. A mulher tanto pode sentir uma leve coceira, ter dor durante a relação sexual ou notar um corrimento. O mais comum é ela não perceber qualquer alteração em seu corpo.
Geralmente, esta infecção não resulta em câncer, mas é comprovado que 99% das mulheres que têm câncer do colo uterino, foram antes infectadas por este vírus. No Brasil, cerca de 7.000 mulheres morrem anualmente por esse tipo de tumor.
Em seus estágios iniciais as doenças causadas pelo HPV podem ser tratadas com sucesso em cerca de 90% dos casos, impedindo que a paciente tenha maiores complicações no futuro. Portanto, a melhor arma contra o HPV é a prevenção e se fazer o diagnóstico o quanto antes.

Como é que se descobre o HPV?
Existem muitas formas do HPV se manifestar, pode surgir como verrugas na região genital do homem e da mulher, sendo seu diagnóstico mais fácil, pois basta olharmos e já temos o diagnóstico. Este tipo de doença é conhecido popularmente como condiloma ou ainda como crista de galo.

Verrugas ou condilomas na vulva


Verrugas ou condilomas no pênis

Existem também as formas sub-clínicas que se instalam no colo e não são visíveis a olho nu, aparecendo quando a mulher faz o exame preventivo de rotina onde aparecem alterações celulares que são diagnosticadas pelo médico patologista.

Colo uterino normal


Colo uterino alterado

Neste tipo de HPV o diagnóstico de suspeita é feito através do exame preventivo de câncer ou conhecido como Papanicolaou ou ainda pela colposcopia, (exame onde o médico observa o colo do útero através do colposcópio, que amplia o colo em cerca de 10 a 40 vezes e mostra alterações não visíveis a olho nu).O diagnóstico de certeza é feito através de biópsia da área suspeita (retirada de um pequeno fragmento do colo e encaminhamento para exames que confirmam a infecção por HPV)


Colposcópio – Aparelho que aumenta o colo uterino em 10 a 40 vezes


Colo uterino alterado por HPV

Outro exame possível de ser feito é o exame chamado captura híbrida, o qual é colhido de forma semelhante ao preventivo e nos dá o tipo de vírus que está presente, esta tipagem viral pode nos dar um prognóstico da doença, pois mostram quais os vírus de maior risco e que podem evoluir para câncer de colo do útero. Esse exame é realizado quando temos o Preventivo com alterações sugestivas de HPV ou ainda no fragmento da biópsia (através da hibridização in situ).

Como é o preventivo ou papanicolaou de alguém infectado pelo HPV?
O laudo do exame pode vir de várias maneiras:
ASCUS = atipias celulares escamosas de significado indeterminado.Este tipo de alteração pode ser o inicio de alguma infecção por HPV, mas pode surgir também em outros tipos de infecção, necessitando repetir o exame dentro de alguns meses ou realizar a colposcopia.
Lesão intra-epitelial de baixo grau ou LSIL = Este tipo de alteração geralmente corresponde ao HPV menos agressivo, que geralmente desaparece espontaneamente dentro de alguns meses, mesmo sem tratamento. É necessário realizar a colposcopia e biopsia para confirmação do diagnóstico.
Lesão intra-epitelial de alto grau ou HSIL =Este tipo de alteração geralmente corresponde ao HPV mais agressivo e que pode evoluir para câncer de colo do útero, sempre necessita colposcopia e biópsia. Caso se confirme a lesão de alto grau se faz necessária à retirada parcial do colo do útero através de uma cirurgia chamada conização ou mesmo a retirada do útero (histerectomia).

PREVINA-SE CONTRA O HPV E LEMBRE-SE:
- A grande maioria das pessoas infectadas pelo HPV não desenvolve o câncer de colo uterino, ele tem uma resolução espontânea dentro de alguns meses no caso das lesões sub-clínicas de baixo grau ou desaparecem com tratamento no caso das verrugas.
- Por ser o principal causador do câncer do colo uterino, o HPV precisa ser descoberto o quanto antes. Por isso, sempre faça seus exames preventivos anualmente.
- Use preservativos em todas as relações sexuais.
- Fique atenta a esses sintomas: coceira, corrimento, sangramento anormal, principalmente fora da menstruação, e dor durante a relação sexual. Se você tiver algum desses sintomas procure seu ginecologista.
- Fumar, beber em excesso ou usar drogas afeta o sistema de defesa do organismo fazendo com que o HPV atinja a mulher com maior facilidade.
- Procure saber mais sobre o HPV e o câncer de colo uterino e compartilhe todas essas informações com o seu parceiro e amigas. Assim será mais fácil se prevenir.
- É importante que seu parceiro também procure um médico para verificar se ele está com o vírus.

Qual o tratamento para o HPV?
O tratamento depende de diversos fatores como:
- A idade da paciente;
- O local e o número de lesões;
- Se a mulher está grávida ou apresenta alguma doença ginecológica.

Não se esqueça que mesmo após o tratamento é aconselhável o acompanhamento.
Existem várias formas de tratar. A maioria delas destruirá o tecido doente e pode ser feito por:
Criocirugia -Tratamento feito com um instrumento que congela e destrói o tecido anormal.
LASER - Utilizado em alguns tipos de cirurgia para cortar ou destruir o tecido onde estão as lesões.
CAF ou cirurgia de alta freqüência - Feito com um instrumento elétrico remove e cauteriza a lesão e faz também a conização.
ATA ou ácido tricloroacético - É um ácido aplicado pelo médico diretamente nas lesões.


Dr. Leo Cezar Vieira
leo@promulheronline.com.br